gallery/imagem1

O radialista da rádio Rádio Caraguá FM, dono da principal voz nas manhãs da cidade, Sr João Roberto Forlim, (conhecido como JR Forlim), falou sobre o comportamento do político de Caraguá, Antonio Carlos Junior, que exerceu um mandato tampinha na Assembleia Legislativa de São Paulo, e sobre um terreiro de Candomblé que o político frequenta, pedindo que o ataquem se for caso, é experiente e aguenta, mas que não envolvessem sua família.

Não economizou nas observações sobre este período em que o rapaz, que é filho do ex-prefeito da cidade de Caraguatatuba, Antonio Carlos da Silva e tem Contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, com Parecer acolhido e aprovado pelo Poder Legislativo Municipal, dizendo sobre os discursos sem ligação com a realidade, sobre a quantidade de assessores que nomeou e sobre promessas feitas pelo ex-deputado tampinha.

Conhecido e respeitado pelos ouvintes da emissora radiofônica, o âncora do programa disse que colheu as informações em consulta ao portal da ALESP.

Sua linha de raciocínio se pautou no fato de o deputado, que na Justiça quer que a população da cidade lhe pague - a si e a seu pai - 13° salário, processo que está em grau de recurso pela Prefeitura de Caraguatatuba, contratou 21 assessores para um período que sequer havia expediente porque era recesso parlamentar.

O deputado, segundo análise do radialista, era o 9° suplente, e assumiu porque houve mexidas políticas, nomeações de outros suplentes, enfim. Disse que dois de seus quatro filhos se tornaram alvos da língua nervosa do deputado e de seu grupo político.

Em defesa de sua filha, que é bacharel em Direito, o radialista, de forma educada, disse que os políticos estão “mexendo em terreno pantanoso ao tentar manchar a honra de seus filhos”

Críticas duras feitas ao suplente tampinha, que é irmão da primeira-dama de São Sebastião, Michelli Veneziani. O radialista contesta a versão de que “a Prefeitura paga seu programa”.

Enumerando, o radialista disse ter 39 anunciantes, que é o patrimônio comercial da emissora e que mantém seu programa no ar.

 

TRECHO CAPTADO DO PROGRAMA JORNAL REGIONAL - 21.03.2019, NA RÁDIO CARAGUÁ FM

Dessa forma, por envolver o ataque frontal a honra da família do profissional de imprensa, segundo seu relato que se pode ouvir claramente no áudio, resolvi ajudar a reproduzir. Escrevo há um bocado de anos, e sobre a coisa pública, me policio a mim e aos meus colaboradores para que a vida pessoal seja sempre preservada. Esse tipo de coisa, portanto, precisa ser contido mesmo, não pode prosperar.

Soa quase que como uma intimidação essa prática de políticos da oposição em Caraguatatuba contra a vida familiar do radialista JR Forlim. Não compactuo com isso e rendo minhas homenagens ao profissional de imprensa.

O sujeito fica melindrado porque é criticado. Enquanto a gente falava bem, estava tudo ótimo. Mas, no momento em que recebe crítica já fica com ranço, com ódio...

gallery/mentira