OPOSIÇÃO EM CARAGUÁ QUER IMPEDIR NOVOS INVESTIMENTOS

Num trecho de seu irretocável artigo publicado no Estadão de hoje, 23, o jornalista Carlos Alberto di Franco, sob o título “O bom jornalismo fascina”, diz: “A grande surpresa no jornalismo é descobrir que quase nunca uma história corresponde àquilo que imaginávamos…”. Perfeito.

A oposição política em Caraguatatuba é a responsável pela falta de novos investimentos na cidade. Até à Justiça os vereadores – ligados ao grupo político do ex-prefeito Antonio Carlos – recorreram para impedir que obras sejam feitas em favor da população. Uma minoria que perde no voto, mas, opera por outros meios. Observe que não tem aspas.

É essa a compreensão e definição de vereadores aliados ao Governo. A rinha é por causa da disputa eleitoral do ano que vem? Neste caso, por si só, caberia aspas.

Tivemos acesso a pesquisas de opinião pública encomendadas – para consumo interno – por duas empresas, e outra a pedido de uma ONG que presta consultoria a investidores privados. Há um nível importante de descontentamento das pessoas com essa tentativa de antecipação eleitoral, e há uma reprovação do nível de debate político que está sendo colocado na cidade nos últimos meses.

As pesquisas refletem um momento. Com base nesses indicativos há preocupação de empresários com a possibilidade de haver certa instabilidade social; deflagração de um cenário conturbado socialmente e com a tendência de insegurança jurídica sobre medidas de caráter municipal, por exemplo, por haver uma visão muito distinta sobre o desenvolvimento do Município entre os dois principais grupos concorrentes ao Poder municipal. 

Conversa com o Prefeito:

O Prefeito Aguilar Jr, (MDB), reconhece haver uma tentativa de seus opositores em criar um clima de incertezas conjunturais, mas, me disse que está concentrado em encontrar soluções à cidade e que prefere deixar essa disputa para o período certo, que entende e respeita o papel da oposição, mas, assegura que todos deveriam pensar no progresso da cidade antes de picuinhas políticas sem muito sentido para a vida das pessoas. 

Prefere, nas palavras dele, “continuar pautando suas ações pelas necessidades do Município, não pela disputa do cargo que ocupa por ter sido eleito”. 

Falou um pouco mais sobre o programa “Pró-Caraguá” (Revitalização e Obras), que foi lançado em Agosto. O valor compreendido nesta ação é de um total de R$ 240 milhões, sendo R$ 88 milhões com recursos próprios da Prefeitura de Caraguatatuba e R$ 152 milhões em “financiamento” junto a Caixa Econômica Federal acessando a um programa chamado “Finisa”, neste caso, voltado a investimentos em projetos de infraestrutura.

Fogo das Vaidades

Desde que o Projeto de Lei – que versa sobre a autorização legislativa para a obtenção deste financiamento – foi encaminhado para deliberação dos vereadores, com o cuidado de ter sido apresentado e discutido previamente com a imprensa e com a população, ganhou status de decisão de um grande jogo, um clássico da política local tendo como arena a Câmara Municipal. 

O documento já entrou na pauta algumas vezes, mas, foi questionado junto ao Ministério Público, via ação na Justiça, e todos os questionamentos foram respondidos. 

O alcaide faz questão de dizer que os recursos são para obras muito bem especificados no corpo do Projeto de Lei. E informa ainda que Caraguatatuba já fez três financiamentos em períodos anteriores, nos anos de 1999, 2001 e 2009 em bancos como o do Brasil e o BNDES. E aponta a diferença do “empréstimo”, que, nesta modalidade, não estaria atrelado a projetos específicos.

Importante dizer que o impacto sobre o Orçamento para pagamento futuro será entre 3% a 5%, sendo que a capacidade do Município é de até 11%, portanto, está em aquém do limite prudencial. Estima-se quase 4 mil empregos gerados (diretos e indiretos). 

Veja um passo a passo oficial:
https://www.caraguatatuba.sp.gov.br/pmc/2019/09/entenda-o-programa-pro-caragua/

Um assessor chamou a atenção para o fato de que há na oposição uma clareza de que o Governo tem dado as devidas respostas que o município precisa e isso dificulta muito essa gente de voltar ao poder, que, ao fim e ao cabo, é o que desejam. E citou um exemplo, o da criação da Guarda Civil Municipal, onde um vereador saiu chutando lata contra a medida do atual Governo e a realização do concurso público, mas, é o mesmo que defendia a medida há pouco tempo na gestão passada. “Não há coerência”, cravou.

Em Caraguatatuba, como se vê, a política tem tudo para ganhar ares de polícia. Opa, já ganhou! Já tem pretenso candidato que usa farda também. A população está preocupada, porque quer investimento, não briga. 

O Município possui todos os Certificados necessários; tem Índice de Liquidez e suas Contas estão organizadas, segundo os critérios do Tribunal de Contas. Até mesmo com a Previdência do Servidor, que foi herdada com problemas, já está resolvido com um Plano de Amortização e está tudo em dia.

É o jogo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *